Torcer, sem distorcer.

Os últimos dias tem sido muito tensos na relação Internacional e torcida. O fraco desempenho em campo vem despertando desconfiança entre os colorados e alguns torcedores acabam transformando e confundindo o direito de protestar com a garantia de ofender e até agredir.
O protesto por parte de torcedores é democrático, mas deve se estabelecer um limite em que “termina” o direito do torcedor e “começa” o direito do jogador. Treino é ambiente de trabalho dos atletas e pressão em tal ambiente com certeza não vai ajudar em nada.
Nenhum profissional, seja da área que for, jamais vai render o esperado depois de receber ameaças, ofensas, ter seu carro arranhado e chutado ou receber pedrada e copoas de água atirados em sua direção.
Quando o zagueiro e capitão Paulão diz que o torcedor para protestar precisa ter argumentos ele apenas deixa claro que aceita a cobrança, mas não concorda que seja ofendido e agredido. Não, agressão e xingamento com dedos em riste NÃO É ARGUMENTO.
Sei que é um texto que para alguns não será muito “simpático”, mas é o que eu penso.
Torcedor torce e cobra. Vândalo ameaça e agride.
Precisamos torcer, sem distorcer.

1 Comentário

  1. Jair 22 de julho de 2016 Reply

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *